Mesa de trabalho com computador, gráficos e mãos de duas pessoas em reunião.

4 práticas para organizar o setor financeiro da empresa

Alguns pontos cruciais na organização do setor financeiro podem, se não cuidados da forma correta, fazer com que as contas virem uma verdadeira bagunça. Para mudar essa situação é essencial que os gestores movam esforços no intuito de colocar as finanças em ordem antes que seja tarde demais. Afinal, o mercado não costuma oferecer muita margem para erros.

 

Confira as 4 práticas que listamos abaixo para te ajudar a minimizar os gastos e garantir a eficiência da sua empresa!

 
1. Priorize a disciplina no setor financeiro

Um dos atributos que todo empreendedor ou gestor deve cultivar é a disciplina. Não há como ter sucesso ao organizar algo sem que se dedique o devido empenho. É como tentar perder peso ou deixar algum vício. Se não há foco e um acompanhamento diário, as chances dos objetivos serem atingidos são remotas.

Empresas de grande porte devem acompanhar bem de perto alguns indicadores de desempenho, tais como faturamento, custos fixos, custo total, lucro nominal, margem de lucro e nível de endividamento, por exemplo.

2. Separe as contas pessoais das empresariais

Um erro básico — e ainda assim muito comum nas pequenas empresas — é confundir as finanças pessoais com as do negócio. Por mais que a tentação seja forte, é preciso organizar, de forma rigorosa, os recursos oriundos e destinados à empresa do dinheiro que é reservado à vida pessoal. Não há como fugir a essa separação. Empresas familiares também apresentam muito essa dificuldade — afinal, família e negócio podem se confundir bastante nesse contexto. Por isso, é preciso determinar junto aos sócios os períodos e condições que devem ser observadas para a realização das retiradas, coibindo a transferência de capital da empresa para o patrimônio pessoal.

3. Conheça bem os prazos

Ter ciência de quais são as restrições de prazo, as datas de recebimento e vencimento das contas é essencial. Isso evita atrasos nas quitações e o pagamento de juros de mora. Essa questão não deve ser ignorada, pois conhecer bem os prazos é o primeiro passo para controlar o fluxo de caixa, estabelecendo prioridades para tudo aquilo que corresponde ao longo, médio e curto prazo. Tratando-se de dívidas, por exemplo, é essencial conhecer aquelas que são de curto prazo.

4. Defina um orçamento anual para o setor financeiro

Alguns investimentos podem se mostrar ótimas oportunidades. Porém, isso deve ser muito bem controlado e calculado para que não gere uma instabilidade no negócio. Você pode contratar um novo serviço, investir em uma expansão de um setor, contratar mais pessoas ou ferramentas. Porém, o ideal é que se defina um orçamento anual para isso. Com essa atitude você se certifica de manter um valor limite para o investimento. Essa quantia já será conhecida e pode ser aplicada sem prejudicar a saúde do setor financeiro do negócio.

Então, o ideal é que você faça uma reunião com os envolvidos, defina o foco do investimento, os valores, objetivos e também alguns marcos importantes para entender se aquilo está ou não conforme o esperado.

Posted by Belluno Fidc
Homem de terno olha para frente usando um binóculo.

Fluxo de caixa projetado: tudo que você precisa saber

Para evitar uma crise, é essencial que o empreendedor consiga fazer previsão de fluxo de caixa. Essa previsão é conhecida como fluxo de caixa projetado e nós garantimos: é bem mais simples do que parece.

Para abandonar a velha desculpa de que a empresa “não sabia que uma crise estava por vir”, acompanhe nosso artigo e entenda o que é fluxo de caixa projetado e como fazer as previsões que vão te livrar da desordem financeira.

 
Mas primeiro… o que é fluxo de caixa projetado?
 

Fluxo de caixa projetado é uma estimativa de datas e quantidade de dinheiro que você espera que passe pela sua empresa, incluindo todas as receitas e despesas.

O fluxo de caixa projetado funciona como uma régua. Mostra qual o período entre vender e receber uma mercadoria, quando repor o estoque, entre outros. O fluxo de caixa projetado é capaz de indicar as melhores datas para pagar fornecedores e estabelecer outras datas de vencimentos, por exemplo.

 
Para que servem as previsões de fluxo de caixa?
 

As previsões de fluxo de caixa podem ajudar a prever sobras ou escassez no caixa da empresa. Auxilia na preparação de impostos e planejamento de novas compras de equipamentos. Pode ainda ajudar o empreendedor a identificar se precisa de um empréstimo.

 
Como fazer uma previsão de fluxo de caixa?

Estime suas prováveis ​​vendas
 

O primeiro passo é estimar suas vendas prováveis ​​para cada semana ou mês. Use o seu histórico dos últimos dois anos para obter uma boa ideia do nível de vendas semanais ou mensais que você pode esperar. É improvável que elas sejam constantes, portanto, inclua padrões sazonais e eventos, como feiras comerciais em suas projeções.

#dica: Não deixe de considerar a taxa de crescimento se o seu negócio estiver indo bem.

 
Estime o tempo de pagamento
 

O próximo passo é estimar quando você espera receber o pagamento por suas vendas. A previsão é mais fácil se você operar com vendas à vista, já que recebe o dinheiro na hora. Se as vendas são no crédito, você precisará incluir em suas previsões de fluxo de caixa o provável atraso no pagamento.

#dica: Não deixe de considerar o índice de inadimplência, ele pode fazer muita diferença no caixa da empresa!

 
Estime seus gastos prováveis
 

É provável que seus gastos sejam compostos de gastos fixos e variáveis. Os fixos são aqueles que você terá que pagar independentemente do seu nível de vendas. Incluem gastos como salários e contas de energia. Já os gastos variáveis são aqueles que caminham de acordo com as vendas, como compra de produtos, por exemplo, ou despesas para entregá-lo ao cliente.

Use sua previsão de vendas para determinar a quantidade de estoque ou matérias-primas que você precisará comprar para manter seu negócio em pé. Lembre-se de identificar outras contas que você precisará pagar e quando precisará pagá-las.

#dica: Verifique seus registros de pagamento do ano anterior. Certifique-se de que não esqueceu de incluir despesas anuais ou esporádicas, como taxas contábeis ou impostos comerciais.

 
Utilize suas previsões
 

Agora que você tem as receitas e despesas na sua previsão de fluxo de caixa, você está pronto para usá-la. Para descobrir seu fluxo de caixa projetado, basta adicionar o saldo inicial da conta bancária e adicionar a receita menos as despesas para cada período, semanal ou mensal.

Posted by Belluno Fidc

4 livros essenciais para empreendedores de sucesso

Como um bom gestor, você deve estar sempre a frente e procurando novas formas de se informar sobre o universo empreendedor. Por isso, estar atento às novidades do mercado é muito importante, mas explorar experiências de quem é da área é essencial.
Para compartilhar essas experiências em boas leituras, separamos 4 livros para contribuir para o momento de lazer de uma forma construtiva.

Posted by Belluno Fidc